ELEIÇÕES À PORTA: A OPINIÃO DO ALUNATO

Por Carol Zweig, Victor Coutinho e Victória Rieser

As eleições para a nova gestão do DA se encaminham para um desfecho: hoje e amanhã, dias 29 e 30 de maio, estão ocorrendo as votações para definir, por fim, quem sairá vitorioso deste pleito eleitoral. Nesse contexto, entrevistamos alguns alunos dos 3 cursos representados pelo Diretório Acadêmico, para sabermos quais são suas opiniões, preferências, demandas e expectativas. Os entrevistados não foram identificados por questões de privacidade.


Acompanhe a seguir e não deixe de compartilhar conosco suas próprias visões!


Essas foram algumas das visões dos alunos de Administração Pública que a Gazeta entrevistou:

Entrevistadx 1


Pergunta: Por que você não se decidiu sobre qual vai ser seu voto?


Resposta: Eu não me decidi porque não cheguei a ler todas as propostas de ambas as chapas. Uma boa parte da Verso está na minha sala, então uma menina me passou algumas das propostas e eu li. Cheguei a pedir para um menino da Chama me mandar as propostas, mas no final das contas ele nem me mandou. Sinto que minha sala está bem enviesada, tá todo mundo de amarelinho e isso me atrapalhou na escolha. De qualquer forma, assumo que o Marketing da Verso foi superior ao da Chama.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: Eu sou uma pessoa que não participa muito das coisas da GV. Eu mal vou em festa e mal uso o espaço do DA, como os jogos e sofás. Na realidade, eu prefiro o ar livre, não gosto daqui. No momento em que tenho a oportunidade, prefiro sair. Talvez, uma demanda seria alguma área de lazer externa, mais bancos para sentar. Ficamos muito tempo na sala de aula (3h50 em AP, fora o integral e os trabalhos extraclasse). Uma ideia seria buscar alternativas para tirar o aluno do ambiente da GV, dessa atmosfera daqui, sabe? O DA não é um lugar que eu me sinta bem!


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: Eu acho que estava mal organizado. Aconteceram algumas coisas como a cópia da carta [proposta], atraso no envio de documentos e o uso de uma ferramenta do DA que não poderia ser usada. E assim, no final, pelo o que eu entendi, foi que estava muita confusão e a maneira de resolver foi por impugnar as três chapas. Não deixaram muito claro as coisas, o processo eleitoral não é transparente. Não entendi por que uma das chapas foi impugnada e as outras não. Na minha opinião, se duas não foram impugnadas, a terceira deveria participar. Para as próximas eleições o processo deve ser repensado e delimitado.


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: Não tem sido um bom processo. Fora a comissão eleitoral e a transparência, o que tem me incomodado muito é que isso virou uma picuinha. As chapas não querem fazer por um todo, virou uma história de “nós somos melhores do que eles”. Sabe, toda hora tem alguém tentando me convencer a votar na sua chapa, atacando a outra chapa. Ultimamente estou com vontade de não votar em ninguém, porque ninguém me representa.


P: Qual sua opinião sobre a qualidade geral das chapas concorrentes?

R: Devem parar de atacar uma à outra e mostrar mais propostas.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: Acho que as pessoas têm que começar a perceber que elas estão fazendo isso por todo mundo, inclusive para a chapa que seria considerada opositora.


Entrevistadx 2

Pergunta: Em que chapa você pretende votar?

Resposta: Pretendo votar na Verso.


P: Por que você acredita que esta chapa te representa?

R: Acredito que a chapa Verso me representa por desde o início ter um discurso honesto sobre as propostas, sem muita maquiagem de investimentos altíssimos nem nada do tipo. Eles têm uma visão de inclusão de diferentes grupos dentro da faculdade, o que é muito importante já que – finalmente – estamos vendo um movimento de mudança nos perfis dos alunos. Eles têm uma abordagem mais próxima do alunato. Vejo o pessoal empenhado cada vez mais ao longo do processo eleitoral em estreitar os laços com os alunos, trazer para perto com rodas de conversas, como as com os coletivos; muito mais que só posts nas redes sociais. Vesti a camisa da chapa por perceber que são alunos com um discurso honesto, transparente e realmente empenhado em fazer a diferença de um DA melhor.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: Minha maior demanda para a chapa é a inclusão dos alunos no DA. Faz um ano e meio que estudo aqui, e nunca me senti realmente cativada a fazer parte do DA, ou sentindo que ele fazia algo por mim ou pelo meu bem-estar e por um ambiente mais agradável para todo mundo. Mais do que as festas, quero um DA aberto, que esteja sempre dialogando com as demandas dos alunos que não são homogêneas e que ainda assim precisam ser assistidas.


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: Acredito que foi um incidente muito chato no processo eleitoral envolvendo jovens engajados que, impugnados ou não, tinham propostas. Fiquei satisfeita com a resolução, mas acredito que se tivéssemos um DA mais aberto e transparente, o diálogo com os alunos teria sido melhor. Muita coisa ficou no boca a boca, e a imagem das pessoas envolvidas foi afetada, muitas vezes injustamente.


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: Sim, por conta da pluralidade de chapas, desde o início me senti mil vezes mais motivada a me engajar e procurar saber melhor sobre o processo e propostas. Acredito que justamente a diferença de perfis das chapas e suas respectivas posturas durante o processo conseguiram retratar muito bem um processo diverso e que representa o alunato. O único ponto que deixou muito mais conturbado foi o incidente das impugnações, mas que ainda assim, foi muito importante para o amadurecimento de um DA que precisa passar por mudanças profundas em resposta às novas demandas dos alunos.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: Uma chapa deve ter membros engajados, que acreditem na ideia que estão representando e vendendo. Deve ter pé no chão para conseguir avaliar criticamente o que de fato é possível fazer pelo alunato, sem, claro, se conformar com possíveis barreiras. Uma chapa deve estar sempre buscando ouvir os alunos de diferentes cursos e semestres, estando abertos para críticas. Entender essa troca contínua é a essência de um DA.


Entrevistadx 3

Pergunta: Em que chapa você pretende votar?

Resposta: Pretendo votar na Chama.


P: Por que você acredita que esta chapa te representa?

R: Eu acredito que os dois projetos de DA serão muito parecidos, ganhe Chama ou Verso. Mas vou votar na Chama principalmente pela questão da sustentabilidade nas festas e essas coisas, acho que é uma proposta que eles estão abordando muito bem. Pra ser sincero, acho que as duas gestões não vão ter muita diferença, mas como já trabalhei com muitas pessoas que são diretores lá, confio muito nelas e sei que vão fazer uma boa gestão. Tenho certeza que essas pessoas que estão no DA dão a vida por isso, estão lá porque elas querem.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: A minha demanda para a próxima gestão do DA é mais transparência. Isso é algo que prezo muito, saber o quanto o pessoal está gastando em festas, quanto estamos arrecadando.


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: Achei certo até o ponto que impugnaram, porque nessa hora utilizaram o mesmo critério pra todos. Mas, na hora de voltar, voltaram duas e uma só não. Eu sei que a Inovar fez muito mais coisa errada, mas ainda assim, acho que todas deveriam continuar impugnadas se todas erraram.


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: Acho que esse ano vai ser muito bom, só por ter duas chapas concorrendo, já torna uma coisa mais interessante. Antes, com chapa única, as pessoas nem eram motivadas a votar. Mesmo que eu ache que as gestões vão ser parecidas, acho que ideias novas vão surgir justamente pelo desafio da concorrência ter sido maior. Mesmo assim, me decepcionei um pouco com a qualidade das chapas, principalmente com os erros que levaram às impugnações.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: Acho que o principal para uma chapa ganhar as eleições, é ela conhecer de DA. Tem que ser uma chapa que eu confio muito, porque eles estão me representando. As pessoas têm que estar totalmente engajadas pro melhor do Diretório Acadêmico.


Em Administração de Empresas, a pessoa entrevistada assim respondeu às nossas perguntas:

Entrevistadx 4

Pergunta: Por que você não se decidiu sobre qual vai ser seu voto?

Resposta: Não decidi em qual chapa vou votar, mas acho muito bom que agora existe concorrência. O motivo para minha indecisão vem de dois fatores, sendo um mais pessoal. O primeiro e mais pessoal é o fato de que conheço pessoas nas duas chapas e sei, sobre essas pessoas que conheço, um pouco de como elas trabalham - só que não decidi ainda qual delas, de forma geral, acho que será melhor para a próxima gestão do DA. O segundo fator é mais simples: eu não li a proposta de nenhuma das duas ainda.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: Não sou uma pessoa muito exigente com o DA, mas acho que uma das principais demandas é relacionada à inclusão, ou seja, que o DA encontre formas de possibilitar um ambiente mais diverso na FGV. Além disso, um problema que acho que precisa ser trabalhado é sobre o 1º andar ser intransitável em horários de pico. Não sei como, mas seria bom que houvessem mais alternativas de ambientes para o alunato ficar.


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: Vou opinar sobre as informações que chegaram a mim. Eu concordo com todo o processo de discussão e assembleia que teve sobre esses incidentes, mas discordo da impugnação da Chapa Inovar, afinal ela quebrou o estatuto da mesma forma que as outras chapas. É claro que existem falhas piores e falhas menos piores, mas no fundo todas falharam - então ou impugna todas ou não impugna ninguém. Se eu fosse o "juiz" desse caso, não impugnaria ninguém e deixaria o alunato, que está sabendo de toda essa história, decidir nas urnas quem foi menos culpado e, portanto, merecedor da vitória. Vale ressaltar que eu pessoalmente não acho que a Inovar seria uma boa escolha pro DA, mas acho que ela deveria ter tido a mesma chance que as outras chapas.


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: Sim! Não acompanhei de perto todos os debates, mas vi que eles ocorreram e isso é ótimo.


P: Qual sua opinião sobre a qualidade geral das chapas concorrentes?

R: Acho que a Verso e a Chama são concorrentes boas, cada uma com suas características. A Inovar, por outro lado, acho que está um pouco perdida.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: Acho que a chapa deve ter pessoas de cursos diferentes que pensam diferente em vários assuntos, mas que concordam em discutir para chegar em um meio termo. Pode ser utópico, mas não acho legal quando uma chapa fica com fama de "Chapa de AP" ou "Chapa de AE". Tem que ser "Chapa da GV 1" e "Chapa da GV 2".


Por fim, no curso de Economia, colhemos as seguintes opiniões:

Entrevistadx 5

Pergunta: Em que chapa você pretende votar?

Resposta: Verso.


P: Por que você acredita que esta chapa te representa?

R: A Verso tem muitos mais membros de Economia que a Chama, lá só tem o Igor [VP Econo] que eu saiba e eu não acho que ele sozinho tenha voz suficiente para o que a EESP precisa. Dá pra perceber que o DA não representa muito bem a EESP, zero na real. Para mudar isso, a Verso parece melhor.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: Parece clichê essa história de aproximar o alunato do DA mas é real, parece que o DA é um clubinho que os membros só se falam entre eles. Ouvi dizer que eles gastaram muito numa reforma na salinha do DA e a EESP precisa de reforma aqui dentro. O primeiro andar [sala de estudos] está sempre zoneado, não tem uma estrutura como a EAESP para os alunos - que o DA poderia ajudar. E também a relação com a coordenação poderia melhorar um pouco por meio do DA.


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: A [impugnação da] Inovar é mais aceitável, eles não tinham VP Economia e sendo da EESP é triste ver eles achando que podem ganhar e mudar isso depois - o que mostra como o DA é de [quem faz] Administração e não Economia. A [impugnação da] Chama acho que não precisava, eles fizeram algo errado mas dá pra passar. Fiquei com a impressão que a Chama não tem muita identidade por estar copiando outros, mas mesmo assim acho que o erro deles não é suficiente para impugnar a chapa. E sobre a Verso, eles usaram o Canvas mas explicaram que foi sem querer e não influencia na eleição. Então, no geral achei que foi correto [o desfecho].


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: O primeiro debate foi bem ruim, vi pelo Facebook. O de segunda foi melhor. O incidente das impugnações foi bem estranho, parecia uma brincadeira de crianças: um querendo tirar o outro. Já ter a possibilidade de votar aqui no Quinto acho bem importante, muita gente não votaria se não fosse aqui. Então gostei do jeito que está sendo estruturado


P: Qual sua opinião sobre a qualidade geral das chapas concorrentes?

R: A Chama tem um projeto muito interessante com a prefeitura, que divulgaram esse final de semana. Mas no geral a campanha foi fraca, tiveram um bate papo com a EESP uma semana antes do debate. Parece que eles não são muito sérios, isso me incomoda um pouco. Claro que eles tem ideias legais, mas a Verso me parece bem melhor. Não só por causa do pessoal de Econo, eles representam mais gente. Fui numa reunião da Verso, tinha muita gente de classes sociais diferentes, negros, brancos, heterossexuais, homossexuais… Não sei sobre a Chama, mas a Verso eu vejo que representa muitas pessoas e no DA é isso que a gente precisa.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: A campanha tem que ser boa, tem que atrair o aluno, estar próxima dele. Tem que perguntar pro aluno o que ele quer, não adianta chegar com propostas definidas sem perguntar o que estão precisando. As duas fizeram isso, mas a Chama mais tarde, o que me faz pensar que a proposta já estava estabelecida e vieram ouvir a gente para cumprir tabela. Então ela tem que conversar e representar todo mundo, não só um grupo seleto.


Entrevistadx 6

P: Por que você não se decidiu sobre seu voto?

R: Eu ainda não me decidi sobre meu voto pois nenhuma chapa parece muito mais atraente. Todos os pontos "fortes", isto é, os menos piores, são bem contrabalanceados pelos fracos, que são bem grandes, a meu ver, em ambas as chapas. Não sinto que, caso tivesse alguma demanda urgente a fazer, seria ouvido facilmente com qualquer uma delas.


P: Quais as suas demandas para a próxima gestão do DA?

R: Queria ver alguma tentativa de juntar mais os cursos. Eu, em especial, me sinto indiferente, mas sinto que seria legal que as pessoas dos diferentes cursos pudessem interagir sem ter que entrar em alguma entidade.


P: Qual sua opinião sobre o incidente das impugnações?

R: Eu acho que todas teriam sido justamente impugnadas, mas o caso da Verso, a meu ver, é menos pior. Se, de fato, eles usaram a máquina do DA e tinham outra alternativa, de modo que a máquina não trouxe vantagem alguma, então eles só usaram por incompetência. E embora incompetência seja ruim, é menos pior do que quando combinado com má fé, que eu diria que é o caso mais próximo da Chama e, principalmente, a Inovar.


P: Você acha que este tem sido um bom processo eleitoral?

R: Eu acho que tem sido um ótimo processo eleitoral, a quase impugnação de todas as chapas mostra como o processo tem sido rigoroso. E mesmo que duas delas ainda estejam competindo, só a discussão trazida à tona mostra a consciência do alunato quanto ao processo e a responsividade do processo quanto a tudo isso


P: Qual sua opinião sobre a qualidade geral das chapas concorrentes?

R: É triste, mas acho que a qualidade de todas as chapas é baixa, sinto que todo o processo revela que elas não lograram fazer o mínimo. Em momento algum, eu tive segurança de entregar meu voto e de que não me arrependeria no instante seguinte.


P: O que, na sua opinião, uma chapa deve ter para vencer uma eleição do DA?

R: Eu acho que passar a segurança pro alunato que caso haja alguma demanda ou problema, o alunato será ouvido com eficiência. E mostrar coerência, isto é, dizer que conseguirá fazer isso e ainda ser capaz de seguir as regras do jogo eleitoral, que deveria ser o mínimo.


Vale ressaltar, por fim, que essa é apenas uma ínfima amostragem do eleitorado gvniano e que, de forma alguma, este texto pretende se colocar como uma previsão do resultado das urnas. Além disso, as opiniões veiculadas pelos entrevistados não refletem o posicionamento institucional da Gazeta Vargas. Acreditamos que o mais importante é discutir e desenvolver as ideias, de modo que todos possam, de maneira informada e apropriada, manifestar sua própria preferência nas urnas.

6 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

ESPAÇO ABERTO

MANDE SEU TEXTO/SEU POEMA/SUA ARTE