top of page

NÃO PAREM O CARNAVAL!



Que não parem o carnaval,

pois já se parou a cidade

que mal entendia o casal

que passou a sorrir de verdade.


De cores, ritmos e luz,

não parem o carnaval!

Deixem que ao menos velho

aproveite o suspiro final.


Que não parem o carnaval,

pois a cena parece novela.

É festa em toda avenida.

É agito em toda viela.


Que não parem o carnaval

e a música fora do tom,

pois o som em nossos ouvidos

nunca esteve tão bom.


Que não parem o carnaval,

momento de festa e alegria,

para que toda tristeza só suma

por baixo de uma fantasia.


Que não parem o carnaval,

momento de plena igualdade

em que todas as classes e cores

buscam sua felicidade.


Não volte, cidade, ao normal.

Não volte a se fazer vivida

com luzes, carros e sons,

que voltam a tomar a avenida.


Não volte, cidade, ao normal,

pois já me encheu de esperança

que por trás de todo seu caos

há espaço para ser criança.


Há espaço para festança

há espaço para ser contente

com o amasso, o pulo e a dança

que tornam da gente mais gente.


Autoria: Thomás Furtado Danelon

Revisão: Anna Cecília Serrano

Imagem de capa: Pierrot de Jean Denis Fintrini

Comentários


bottom of page