RESPONSABILIDADE DO SEGUNDO SETOR EM MEIO À PANDEMIA DO COVID-19

No texto de hoje, nossa membra Daniela Carlucci apresenta o novo paradigma empresarial que surgiu com o advento da pandemia de COVID-19. Venha ler mais para entender sobre a responsabilidade social que as grandes companhias precisam adotar durante estes tempos sombrios.

Os mercados são responsáveis, na sociedade, por garantir a troca de bens e serviços. Dessa forma, é compreendido como instituições e organizações em que relações comerciais são estabelecidas por ofertantes e demandantes a fim de realizar transações ou trocas comerciais. Assim, é de suma importância compreender o papel deste em oferecer produtos essenciais para a sociedade, principalmente quando trata-se de uma crise como a que vive-se atualmente.


O aumento significativo da demanda por produtos de produção individual levou a uma forte carência por esse bens. Dessa forma, é importante que as empresas busquem adequar as suas produções às necessidades sociais momentâneas. Além disso, é de suma importância o auxílio a pessoas em situações de vulnerabilidade, principalmente quando se trata da realidade de um país com forte desigualdade socioeconômica e de acesso à saúde. Nesse contexto, ações como não demitir funcionários da cadeia produtiva em massa e realizar doações e nova produção de bens são essenciais.


Primeiramente, empresas como a Ambev, Fabricante Ypê e Hering, adotaram medidas significativas no que tange a adequar suas cadeias produtivas com o objetivo de garantir que a população tenha acesso aos bens necessários para o combate à pandemia. A Ambev, uma empresa brasileira destinada à produção de bebidas, buscou analisar como a sua cadeia produtiva poderia colaborar para a produção de bens que estão sendo demandados e o mercado não está suprindo essa demanda. Assim, esta está produzindo máscaras feitas com plástico pet antes destinado à embalagem de seus produtos, a fim de doar para profissionais de área da saúde que estão na linha de frente do combate ao vírus e necessitam dessa proteção.


Além disso, a empresa, que normalmente produz bebidas alcoólicas, buscou transformar o álcool em álcool em gel, por meio de uma fórmula desenvolvida por ela própria, a fim de não utilizar matérias-primas que estão em falta no mercado para essa produção, como o carbopol, para poder ampliar de forma significativa o número de produtos. O álcool em gel, disponibilizado em garrafas como as utilizadas nas bebidas da empresa, será doado às Secretarias Estaduais de Saúde, que irá distribuir aos hospitais públicos de acordo com as demandas de cada um.


Ademais, outra empresa que adequou seu processo de fabricação para manufaturar produtos que estão sendo necessitados foi a Fabricante Ypê. Produtora de itens de higiene de saúde, seu processo de produção está contando com a manufaturação de álcool em gel que será distribuído para entidades de saúde. Também está realizando a doação de sabão em barra para comunidades carentes, visto a importância deste bem para a prevenção da doença.


A Hering, empresa destinada à manufatura de roupas e vestimentas, segue a mesma linha das empresas anteriores: está buscando meios para que a sua cadeia produtiva contribua de alguma forma para mitigar os problemas atuais. Destarte, mobilizou parte de sua equipe para a confecção de uniformes para as equipes de profissionais da área da saúde, os quais estão sendo doados.


Dessa forma, contempla-se iniciativas de grandes marcas consolidadas no mercado a fim de contribuir de alguma forma com as demandas sociais em tempos de pandemia. São empresas que não possuem em seu item de portfólio a produção desses bens, mas buscaram adequar a cadeia produtiva e encontrar maneiras com as quais poderiam, de forma inovadora, cooperar com a sociedade.



Referências:

Perfis do Instagram das empresas aqui citadas

https://exame.abril.com.br/marketing/ambev-ensina-como-produzir-mascaras-feitas-com-plastico-pet/



Foto da capa: Chabaski _



195 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

ESPAÇO ABERTO

MANDE SEU TEXTO/SEU POEMA/SUA ARTE