VOCÊ TEM FOME DE QUÊ?


No silêncio do meu quarto

Entre quatro paredes da solidão

Capaz de ouvir o silêncio da voz calada

O som de ruminação


Sinto falta da vida vivida

Das coisas sem valor

Estou atirado sobre minha cama

Com as notícias de todo pavor


“A esperança é a última que morre”

Quem falou do Brasil não estava

A esperança é a primeira que se foi

Levando a educação e o emprego que vos restava


Já não abdico de minhas palavras

Pois de nada elas valem

Desfruto da dor e da rima:

Duzentos e setenta e cinco mil e cento e cinco histórias perdidas



Autoria: Gabriel Castellamare

Revisão: João Vítor Vedrano

Imagem de capa: Mauro Pimentel/Reprodução: Projeto Colabora