O PRIMEIRO MUNDIAL DO BRASIL



Neste ano de 2022, acontecerá a vigésima segunda edição da Copa do Mundo. Dessa forma, não se poderia deixar de falar sobre a maior seleção desse campeonato: o Brasil. Com 5 títulos, o país tem a seleção com mais vitórias da história da competição. Suas duas primeiras conquistas foram consecutivas, nos anos de 1958 e 1962. Logo depois, em 1970, ganhou o terceiro título, sendo o primeiro país a alcançar esse marco. A quarta e a quinta vitórias ocorreram nos anos de 1994 e 2002, respectivamente.


O campeonato, que costuma ocorrer no mês de julho, será sediado no Catar e tem previsão de início no dia 21 de novembro. A mudança no calendário foi determinada por conta do calor intenso que marca o mês de julho nessa região, que poderia ser prejudicial ao desempenho e até mesmo à saúde dos jogadores, com temperaturas superando os 40 graus Celsius.


A Copa do Mundo, organizada pela FIFA, possui diversas normas de formatação. Em primeiro lugar, para constituir as seleções que jogarão o campeonato, acontecem as Eliminatórias da Copa do Mundo, um pré-campeonato que determina quem vai para a Copa. Isso foi uma evolução, uma vez que, no início, somente eram convocados os poucos países filiados à FIFA.


Atualmente, há dois países que possuem garantia de classificação: o que sedia a edição e o ganhador da edição anterior, e existe um número predefinido de vagas para cada continente. Dentre os campeonatos já ocorridos, a América do Sul nunca ultrapassou o limite máximo de 4,5 vagas, o que mostra a potência do Brasil, por ter conseguido lugar em todos até hoje. Após os jogos, ocorre uma repescagem, em que há mais uma chance de classificação — processo pelo qual, dos países que já venceram a Copa, apenas o Brasil e a Inglaterra nunca tiveram que passar.


Uma vez definidos os participantes, ocorre um sorteio para a formação das fases de grupos, usualmente compostos por 4 seleções. Os dois vencedores de cada grupo passam para as oitavas de final, em que há 8 jogos. Depois, as quartas de final, as semifinais e a final. Também há um confronto entre os perdedores das semifinais pelo terceiro lugar.


Assim sendo, uma seleção joga cerca de 25 jogos — levando em conta as eliminatórias (18) e a Copa em si (7) — para conseguir alcançar o título do campeonato.


A Copa da 1958


Em 1958, o Brasil passava pelo terceiro ano do mandato de Juscelino Kubitschek. Seu governo se baseou no lema “50 anos em 5”, que propôs várias mudanças nos âmbitos econômico e industrial. O período foi marcado por eventos históricos como a construção de Brasília e a abertura da economia para o capital estrangeiro. Apesar da aquisição de uma grande dívida externa e da aceleração da inflação, foi um período de euforia para o povo brasileiro, que tinha pela frente um ano marcado pela aceleração econômica nacional e uma Copa do Mundo.


A Copa de 58 foi a sexta edição do campeonato, sediada na Suécia, e

contou com 16 seleções. A brasileira era constituída por grandes nomes

como Pelé, Vavá, Zagallo e Garrincha, e teve como técnico Vicente Feola. Ao

lado do Brasil, havia apenas a Argentina, o México e o Paraguai como

representantes da América Latina, em meio a 12 países europeus.

Naquele ano, por serem apenas 16 times, não houve oitavas de final. Assim, passamos da fase de grupos para as quartas com a então União Soviética. Em um jogo contra o País de Gales, nos classificamos para as semis e, contra a França, chegamos à final. Em 29 de junho, competimos a final com o país-sede, Suécia, que fez sua melhor performance em Copas do Mundo nesta edição.


Uma grande ansiedade estava instaurada no país! A última final que a seleção disputara havia sido em solo nacional, em 1950, no estádio do Maracanã. Jogamos contra o Uruguai e, tristemente, perdemos de 2x1 em casa. Dessa forma, o jogo que estava por vir gerava fortes tensões.


Em menos de dez minutos de jogo, já havia empate de 1x1, com gols de Liedholm (4’) e Vavá (9’) — que, ainda no primeiro tempo, marcou mais um. No segundo tempo, o Brasil, já com um ponto de vantagem, não parou de lutar. Pelé, aos 55 minutos, fez o terceiro gol da seleção e Zagallo, aos 68’, assegurou o 4x1. Nos 10 minutos finais, a euforia já tomava conta dos brasileiros. Mais um gol sueco, marcado por Simonsson, foi feito aos 80’. Já no fim de uma partida tão movimentada, no último minuto do jogo, Pelé marca mais um, fechando o placar de 5x2 para o Brasil. O país em festa.


Nessa Copa, Pelé, com apenas 17 anos, foi o artilheiro do Brasil, marcando 6 gols. No entanto, o artilheiro do campeonato foi Just Fontaine, com impressionantes 13 gols. Foram 126 gols num total de 35 partidas. E o que realmente importava

para nós… era nosso primeiro título de Copa do Mundo.


A Copa de 2022


Em 2022, temos a oportunidade de ganhar o hexa. Já foram determinadas as seleções que participarão da competição, assim como a tabela da fase de grupos, separada de A a H. O Brasil compõe o grupo G, ao lado de Sérvia, Suíça e Camarões, e a sua estreia será no quarto dia de Copa, 24 de novembro.


A seleção brasileira conta com o técnico Tite, que já trabalhou com os times Corinthians, Palmeiras e Al-Wahda. A escalação ainda não está confirmada, mas dentre os jogadores que estiveram presentes nas eliminatórias, temos: Gabriel Barbosa, Daniel Alves, Thiago Silva, Coutinho, Weverton, entre outros. Segundo o site Oddschecker, que consolida as expectativas de 23 sites de apostas, o Brasil é o favorito para levar o título para casa até o atual momento. Será que 2022 é ano de hexa?


Autoria: Amanda Louro Sanchez

Imagem de capa: Antonio Lucio / Reprodução do livro "Seleção Nunca Vista"


20 visualizações