A TECNOLOGIA E OS ATLETAS



por Liga de Gestão em Saúde FGV


Os esportes fazem parte das histórias de culturas diferentes por todo o mundo e os seres humanos sempre acreditaram que a solução para que o desempenho do atleta fosse o máximo possível, ele deveria estudar suas táticas e treinar incansavelmente. Nos tempos modernos, o acesso à tecnologia possibilitou que a performance fosse melhorada utilizando-se de outros métodos científicos, como o mapeamento genético, as células-tronco e a biotecnologia e neurociência, o que impulsionou o surgimento de startups chamadas de Sports Techs, que focam no desenvolvimento dessas tecnologias que evoluem o esporte.


A saúde dos atletas é um dos pontos mais importantes a serem discutidos, pois seu rendimento pode mudar drasticamente caso o jogador não esteja em boas condições. Com o mapeamento genético, especialistas do campo da saúde podem identificar informações específicas para projetar dietas e treinos ideais para cada indivíduo. Isso acontece uma vez que a genética impacta diretamente na força, resistência e na capacidade de recuperação após sofrerem algum tipo de lesão. Desse modo, a partir dos dados coletados, os jogadores recebem uma dieta nutricional personalizada para seu tipo físico, juntamente com um treinamento que de enfoque em suas necessidades de desenvolvimento.


Ainda no âmbito de estudo das características individuais dos esportistas, podemos mencionar duas áreas do campo da ciência que estudam o desempenho físico e cognitivo dos atletas: a biotecnologia e a neurociência.


Ao juntar a neurociência com tecnologias virtuais desenvolvidas por profissionais, pode-se analisar o tempo de reação, o nível de atenção, o controle da impulsividade, o uso de visão periférica e o tempo de tomada de decisão, uma vez que esses se dão por suas capacidades cognitivas. Algumas máquinas também podem modificar a capacidade de aprendizado do cérebro dos jogadores, dado que estímulos cerebrais criados por ondas magnéticas podem acelerar o desenvolvimento de novas habilidades. Essas tecnologias estão sendo muito utilizadas em diversos campeonatos de extrema importância mundial, pois são grandes aliados na preparação dos jogos.


Com o avanço nessa esfera de estudo, as lesões também receberam um novo método para serem tratadas. Com as células tronco, os atletas conseguem realizar sua recuperação com a utilização das mesmas. Isso ocorre com a extração das células-tronco dos esportistas e alocação nas áreas lesionadas. Assim, tendo uma reabilitação mais vertiginosa.


Uma das lesões mais comuns entre os jogadores são os ossos quebrados. Dessa forma, para que haja uma recuperação mais rápida, utiliza-se um substituto sintético ao osso, chamado de cerament, logo podendo observar o auxílio da biotecnologia.

Outro aspecto importante é a gestão por meio da análise de dados e inteligência artificial. Ao longo dos anos, além da parte da automatização de processos, cada esporte adquiriu novas formas de análise estatística, advindas do avanço tecnológico que possibilitou maior detalhamento e processamento de dados cruzados; essas novas estatísticas permitem detalhamento das estratégias no jogo, além de modificar campeonatos e até influenciar na contratação de novos atletas no caso dos esportes coletivos por clubes. Por meio de tablets, os próprios atletas podem acompanhar, antes das disputas, uma análise completa do adversário: geolocalização, movimentos, preparação, entre outras métricas. Também é possível a criação de treinos individuais a partir dessa nova análise, ampliando o leque de possibilidades esportivas tanto para o atleta quanto para quem gerencia. A inteligência artificial está presente também na atuação dos árbitros, como nos juízes eletrônicos de vídeo e marcação de pontos via câmeras e sensores. Até as torcidas entram no jogo da inteligência artificial: empresas de apostas começam a desenvolver softwares para captar informações e gerar palpites.

Em vista disso, a tecnologia se tornou uma grande aliada na saúde dos atletas, pois ajuda no rendimento e análise dos mesmos ao mesmo tempo que auxilia também na recuperação e tratamento de lesões. Hoje em dia, o mercado de Sports Techs cresce constantemente e possui empresas avaliadas em 8,4 bilhões de dólares. Pensar que apenas treinos e dons formam bons atletas se tornou algo questionável diante de tantas possibilidades oferecidas pela ciência.



Revisão: Cedric Antunes

Imagem de capa: Carolina Eguchi

____________________________________

Fontes:

Como a tecnologia pode elevar a performance dos atletas?

https://elastic.fit/as-melhores-tecnologias-para-a-prevencao-de-lesoes/

https://summitsaude.estadao.com.br/tecnologia/inteligencia-artificial-pode-evitar-lesoes-em-atletas/

https://www.hcor.com.br/materia/avaliacao-multidisciplinar-em-medicina-esportiva/https://rapaduratech.com.br/sports-techs-o-que-sao-e-como-estao-ajudando-no-esporte-brasileiro/


70 visualizações