SPEAK!



Fale! Fale tão alto que as estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais vigentes sejam transformadas! Foi exatamente assim, por meio do ato de falar, que grandes figuras da história global deram discursos que revolucionaram a sociedade e tornaram possível a transformação em cada uma das estruturas que compunham o contexto por elas vivido. Esses discursos serão analisados neste texto, com o objetivo de demonstrar caso a caso como a comunicação se fez presente nos eventos históricos mais importantes através do discurso. Não apenas como uma homenagem prestada a tais oradores, este artigo também tem a intenção de inspirar novos oradores na reivindicação de direitos, na luta pelas causas que lhes toquem e, principalmente, para que façam com que suas vozes sejam ouvidas. Embarque nesta jornada envolvendo história, política e, em especial, comunicação e liderança, e leve grandes ensinamentos desta leitura.


Em cada um dos casos a seguir manifestam-se algumas características que compõem um excelente orador e um formidável discurso. Infelizmente, por meio da escrita, o discurso fica limitado às palavras proferidas, por isso, recomenda-se também assistir tais momentos em que os indivíduos citados marcaram a história por meio da fala. Entretanto, apenas pelas palavras é possível ver os artifícios utilizados por essas figuras para fazer com que seus discursos fossem ouvidos e internalizados pelos interlocutores. Em primeiro lugar, eles são autênticos, otimistas e dominam completamente o assunto abordado. Em segundo, eles demonstram ter ciência de todos os componentes da chamada “Teoria da Informação”: reconhecem o receptor para quem está direcionando sua mensagem, moldando a linguagem por meio do código para gerar mais impacto e estabelecendo um canal direto com ele. Em terceiro lugar, eles revelam ter domínio da persuasão e serem dotados de credibilidade para o que estão dizendo – perante suas realizações prévias. Ademais, seus discursos contêm grande apelo emocional e um argumento lógico favorável ao convencimento. Fique atento(a) nessas características ao navegar pelos exemplos.

Charles De Gaulle

“Creiam em mim, eu que lhes falo com conhecimento de causa e lhes digo que nada está perdido para a França. Os mesmos meios que nos venceram podem, um dia, trazer-nos a vitória. Porque a França não está sozinha. Ela não está sozinha! Ela não está sozinha! Ela possui um vasto império por trás dela. [...] Esta é uma guerra mundial. Todas as faltas, todos os atrasos, todos os sofrimentos, não impedem que exista no universo todos os meios para esmagar um dia nossos inimigos. Arrasados hoje pela força mecânica, nós poderemos vencer no futuro por uma força mecânica superior. Este é o destino do mundo. [...] Aconteça o que acontecer, a chama da resistência francesa não deve se apagar, e ela não se apagará.”

Charles De Gaulle no discurso intitulado “Apelo aos Franceses”

Em 18 de junho de 1940, Charles De Gaulle, general refugiado na Inglaterra quando a França havia sido invadida pela Alemanha Nazista, corajosamente entrou para a história como sendo um dos principais líderes a lutar para retirar seu país do julgo nazista. Como manifestação de sua luta está seu discurso “Apelo aos Franceses”, no qual De Gaulle mostrou ao mundo que os franceses resistiriam, mesmo com as dramáticas perdas militares. Tal manifestação, que rendeu uma sentença de morte imediata ao general, marcou o início do movimento Free France (França Livre) e tornou-se símbolo francês para a posterior vitória do país na guerra. Além disso, o impacto do discurso proferido pelo general tornou-se mais importante com o passar do tempo e fez com que diversas personalidades francesas buscassem se associar a seu orador. Emmanuel Macron, por exemplo, celebra as comemorações anuais para o discurso de De Gaulle e tem o hábito de prestar suas homenagens ao orador.

Mahatma Gandhi

“Podemos mostrar nossa força e coragem somente quando esta for nossa própria luta. Então, toda criança será corajosa. Alcançaremos nossa liberdade lutando. Não vai cair do céu. [...] Sei muito bem que os britânicos terão de nos dar nossa liberdade quando tivermos feito sacrifícios suficientes e testado nossa força. Devemos remover o ódio dos britânicos de nossos corações. Pelo menos, em meu coração não existe tal ódio. Na verdade, agora sou um amigo dos britânicos mais do que nunca. [...] Você não deve recorrer à violência; isso colocaria a não-violência em desgraça. [...] Peço que adote a não violência como uma questão de estratégia. Para mim é um credo, mas enquanto você estiver envolvido, peço que aceite isso como uma estratégia. Como soldados disciplinados, vocês devem aceitá-lo totalmente e aderir a ele quando entrarem na luta.”

Mahatma Gandhi no discurso chamado “Quit India

Mahatma Gandhi, reconhecido por ter sido um líder revolucionário não-violento, teve uma de suas maiores vitórias associadas a um dos discursos proferidos por ele: o Quit India. Em 1924, o mundo todo estava em conflito e a Índia completava mais de cem anos de controle britânico, anos esses de desvantagens econômicas ao povo indiano e de extrema influência europeia. A partir do momento em que a Grã-Bretanha entrou na Segunda Guerra Mundial, levando a Índia para o conflito como consequência, Gandhi proferiu o discurso supracitado pelo qual ficou conhecido, ordenando a independência imediata de seu país. Horas após o discurso ter sido realizado, o Comitê do Congresso para Toda a Índia passou a chamada Quit India Resolution. Finalmente, em 1947, a Índia foi declarada um país independente.

Martin Luther King Jr.

“Digo a vocês hoje, meus amigos, que, apesar das dificuldades de hoje e de amanhã, eu tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano. Tenho um sonho de que um dia esta nação se erguerá e corresponderá em realidade o verdadeiro significado de seu credo: 'Consideramos essas verdades como auto-evidentes que todos os homens são criados iguais'. Tenho um sonho de que um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos de ex-escravos e os filhos de ex-donos de escravos poderão sentar-se juntos à mesa da irmandade. Tenho um sonho de que um dia até o estado do Mississippi, um estado desértico que sufoca no calor da injustiça e da opressão, será transformado em um oásis de liberdade e de justiça. Tenho um sonho de que meus quatro filhos viverão um dia em uma nação onde não serão julgados pela cor de sua pele, mas pelo teor de seu caráter. Tenho um sonho hoje. [...]”

Martin Luther King Jr. no discurso “I Have A Dream”

O discurso “Eu tenho um sonho” (do inglês, I Have A Dream), proferido no dia 28 de agosto de 1963, por Martin Luther King Jr. é considerado hoje uma das melhores obras de oratória da história humana. Partindo de uma mistura de linguagem rica com repetição estrategicamente utilizada, o discurso foi uma aposta destemida e permanece na mente das pessoas até os dias atuais. Na data em questão, mais de 250 mil negros e negras compunham a chamada Marcha de Washington, em movimento contra a segregação da população negra na capital dos Estados Unidos. Nessa mesma data, ao proferir seu discurso, Martin Luther King Jr. mostrou para o mundo sua liderança e desejo de uma resistência pacífica ao racismo. Além disso, como pontuado pela revista britânica The Independent, são poucos aqueles que conseguem improvisar uma performance que não muda simplesmente a política, mas também o curso da história – algo que foi realizado com maestria pelo reverendo.

Malala Yousafzai

“Queridos amigos, em 9 de outubro de 2012, os talibãs atiraram no lado esquerdo da minha testa. Atiraram nos meus amigos também. Eles acharam que aquelas balas nos silenciariam. Mas falharam e, então, do silêncio vieram milhares de vozes. [...] O sábio ditado 'A caneta é mais poderosa que a espada' é verdadeiro. Os extremistas têm medo dos livros e das canetas. O poder da educação os assusta e eles têm medo das mulheres. O poder da voz das mulheres os apavora. É por isso que eles atacam escolas todos os dias: porque têm medo da mudança, da igualdade que vamos trazer para a nossa sociedade.

Malala Yousafzai em discurso na Organização das Nações Unidas

A jovem paquistanesa Malala Yousafzai, por se manifestar contra a proibição dos estudos de mulheres em seu país, foi baleada na cabeça a pedido do grupo terrorista Talibã. O líder do grupo havia determinado, desde 2008, que as escolas interrompessem as aulas dadas às meninas. Malala não se calou perante a situação e mostrou ao mundo a situação de seu país por meio de denúncias constantes escritas em seu blog “Diário de uma Estudante Paquistanesa”, o que fez com que ela passasse a ser considerada uma ameaça para o grupo fundamentalista em questão. Praticamente um ano após ter sido atacada, em 12 de julho de 2013, durante a reunião dos jovens líderes na Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, Malala proferiu um discurso contando sua história e a situação vivida em seu país, principalmente frente à educação de meninas paquistanesas. Dia esse que entrou para a história, por ordem do então Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-Moon, como o “Dia Malala”.

Referências


BRASIL DE FATO. "Eu tenho um sonho": há 55 anos, Martin Luther King proferia discurso histórico. Disponivel em: <https://www.brasildefato.com.br/2018/08/28/eu-tenho-um-sonho-ha-55-anos-martin-luther-king-proferia-discurso-historico/> Acesso em: 13 nov. 2020.


FERRAZ, F. O discurso de De Gaulle pela BBC, em 1940. Mundo da Política. Disponível em: <https://mundodapolitica.com/o-discurso-de-de-gaulle-pela-bbc-em-1940/> Acesso em: 12 nov. 2020.


GANDHI, M. Quit India. Disponivel em: <https://www.mkgandhi.org/speeches/qui.htm> Acesso em: 12 nov. 2020


IKMR. Dia Malala: Discurso ONU. Disponivel em: <http://www.ikmr.org.br/dia-malala-discurso-onu/> Acesso em; 13 nov. 2020.


PROJURIS. Discursos que inspiram: 'I Have a Dream', de Martin Luther King Jr., na íntegra. Disponível em: <https://www.projuris.com.br/i-have-a-dream-de-martin-luther-king-jr-na-integra> Acesso em: 13 nov. 2020.


SEAMONS, S. 7 famous speeched that changed the world. Go React, 2017. Disponível em: <https://blog.goreact.com/2017/05/30/7-famous-speeches-that-changed-the-world/> Acesso em: 12 nov. 2020.


SPEECH. Apostila do Curso de Comunicação. Curso de Comunicação. 13 nov. 2020.


THEIR WORLD. Malala Yousafzai’s speech at the Youth Takeover of the United Nations. Disponível em: <https://theirworld.org/explainers/malala-yousafzais-speech-at-the-youth-takeover-of-the-united-nations> Acesso em: 13 nov. 2020.

WOODS, M. Charles de Gaulle’s June 18 call to resist Nazis still defines France 80 years on. Radio France Internacionale, 2020. Disponível em: <https://www.rfi.fr/en/france/20200618-france-charles-de-gaulle-appeal-resistance-18-june-1940-defines-after-80-years-world-war-two-macron-le-pen> Acesso em: 12 nov. 2020.



Texto por: Kevin Danilo de Oliveira

71 visualizações